Regional

Covid: Dracena aplica vacinas vencidas em 80 pessoas; Prefeitura alega falha no estoque

Doses estavam em sete frascos do imunizante fabricado pela Oxford-AstraZeneca aplicadas em 14 e 15 de abril. Secretaria de Saúde informou que monitora os vacinados por 30 dias, mas não há motivo para pânico.

A Secretaria Municipal de Saúde de Dracena (SP) informou nesta quinta-feira (22) que 80 pessoas receberam vacinas vencidas contra a Covid-19. As doses são da fabricante OxFord-AstraZeneca, do lote 4120Z001, e foram aplicadas no município nos dias 14 e 15 de abril. Segundo o prefeito, André Kozan Lemos (Patriota), o erro será investigado, mas não traz risco à saúde dos munícipes. Todos serão revacinados em um mês.

“Houve uma falha na gestão do estoque dessas vacinas. As vacinas que chegaram depois foram aplicadas primeiro e sete frascos ficaram para trás e aconteceu essa pequena falha. Falhas semelhantes não acontecerão”, declarou o prefeito André Kozan Lemos (Patriota) em pronunciamento nas redes sociais.

A Secretaria de Saúde informou que as pessoas que receberam essas doses serão monitoradas por 30 dias, a partir da data de aplicação, e não há motivo para entrarem em pânico. A pasta esclareceu que essas pessoas deverão aguardar em suas residências a visita de equipe da Saúde municipal para orientação.

Segundo a Prefeitura, a situação já foi comunicada ao Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), de Presidente Venceslau (SP), e o procedimento foi considerado “inadequado”. “Sendo assim, aguarda por mais orientações da Divisão de Imunização da Secretaria Estadual de Saúde”, esclareceu, em comunicado.

G1 questionou a Prefeitura se a Secretaria Municipal de Saúde não viu que as doses estavam vencidas antes da aplicação, qual era a data de validade dessas 80 doses e quando o município recebeu essas doses, mas a pasta informou que as informações que possuía constavam no comunicado oficial.

Ao Bom Dia SP, o prefeito informou já ter determinado uma investigação para saber o que levou ao erro. Lemos explicou que os sete frascos sobraram de um lote anterior de vacinas e foi guardado erroneamente com outras doses, essas com validade maior, o que gerou o erro.

“As vacinas fora do prazo, a princípio, não oferecem riscos, mas são consideradas inválidas”, garante o político. “As vacinas serão aplicadas novamente em prazo curto, vamos entrar em contato para acompanhar a saúde das pessoas. É uma questão preventiva, mesmo”, disse.

Agora, as pessoas receberão vacinas do Instituto Butantan, a CoronaVac, segundo Aline Andrade, diretora de vigilância em Saúde de Dracena. “A orientação é de que elas podem ser revacinadas daqui há um mês. Então será em 14 e 15 de maio a outra dose, considerando a primeira inválida”, explica.

A administração municipal ressaltou que a campanha de vacinação vem sendo desenvolvida na cidade com todo o cuidado, desde o mês de janeiro, para evitar os mais diferentes problemas.

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar