Administração Paulo Boaventura (2021 -2024)

Março bate recorde de contaminações por Covid-19 em Castilho

Hospital e Secretaria de Saúde emitem novo alerta sobre possível colapso causado pela falta de consciência popular na adoção de medidas preventivas e cumprimento das regras de isolamento

Os números divulgados hoje (13) pela Secretaria de Saúde de Castilho no 99º Boletim Epidemiológico que monitora os casos de coronavírus no município confirmam aquilo que as autoridades mais temem: a curva de contaminações não está reduzindo apesar das medidas mais restritivas impostas pela etapa emergencial da Fase Vermelha do Plano SP.

No intervalo compreendido entre a terça-feira passada e hoje, foram registrados 92 novos casos positivos da doença. A quantidade de óbitos também saltou de 24 para 27 castilhenses que perderam a vida por conta de complicações causadas pelo vírus.

Ainda mais preocupante é a quantidade de internações registradas atualmente no Hospital “José Fortuna”: até o início da noite de ontem (12), haviam 21 castilhenses internados na Ala Covid, sendo um deles intubado. Em Nota de Alerta, o Hospital informou que as internações que contabilizavam 14 pacientes neste último final de semana, receberam o acréscimo de 07 novas internações somente nesta segunda-feira.

O Alerta feito pela Instituição e reforçado pela Secretaria Municipal de Saúde é ainda mais preocupante quando levamos em consideração que a Ala Covid do Hospital tem capacidade para 9 leitos. Apesar disso, eles tem demonstrado grande capacidade de se readaptar neste que é o momento mais difícil enfrentado na pandemia.

“Ontem [12] tivemos que correr juntamente com o Hospital para comprar novas camas em regime de urgência porque, infelizmente, o índice de contaminações continua aumentando rapidamente e estamos à beira de um colapso. As pessoas precisam entender de uma vez por todas que sair de casa sem necessidade e sem os devidos cuidados preventivos que são a lavagem constante das mãos, uso obrigatório de máscaras e manter o distanciamento mínimo de um metro e meio de outras pessoas em qualquer situação, pode levar a doença pra dentro de casa e colocar em risco a vida das pessoas que amamos. Além disso, neste final de semana, recebemos algumas denúncias de pessoas testadas positivas para o vírus e que estavam circulando livremente pela cidade. Estamos tomando as medidas punitivas necessárias, mas, acreditem, nenhuma medida que possamos adotar para restringir será mais impactante do que o pesar de perder um ente querido porque nos recusamos a seguir regras que estão sendo repetidas diariamente em todas as mídias há mais de um ano. Internações e mortes não são reflexo da falta de fiscalização e sim da falta de consciência, empatia e amor ao próximo!”, desabafou a secretária de Saúde municipal, Márcia Zoteli.

MÊS RECORDISTA – Outra triste notícia divulgada hoje pela Secretaria de Saúde confirma que o mês de março deste ano é o recordista absoluto no número de casos positivos da doença desde o início do monitoramento feito pelos Boletins Epidemiológicos, em abril do ano passado. O maior pico anterior foi registrado em setembro de 2020, quando cerca de 200 casos positivos foram notificados.

Para alívio das autoridades, nos três meses que se seguiram, os registros de contaminação caíram pela metade. Mas já em janeiro deste ano voltaram a subir, chegando ao pico máximo de casos positivos em março, com aproximadamente 240 contaminações confirmadas.

Agora em abril, passados apenas 13 dias do mês, a quantidade de casos positivos de coronavírus já é equivalente a toda a média de casos registrados no trimestre de outubro a dezembro, indicando a possibilidade de um novo recorde de contaminações se a população não levar à sério as medidas restritivas.

Assessoria de Comunicação

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar