Castilho

Iguá completa três anos pronta para impulsionar movimento de transformação do saneamento

Assessoria de Imprensa

A Iguá Saneamento, controladora da Águas Castilho, comemora três anos e se prepara para uma nova fase de transformações e crescimento. A companhia, que gere 18 operações e beneficia mais de seis milhões de clientes em cinco estados, marca esse importante momento com a chegada do novo CEO, Carlos Brandão, e uma agenda ambiciosa de crescimento. “Há três anos a Iguá atua com o propósito de ser a melhor empresa de saneamento para o Brasil, agora vamos acelerar o ritmo para também posicionar a empresa como a melhor plataforma de expansão e desenvolvimento do setor”, explica Brandão.

Em Castilho, a companhia atua na captação, distribuição e tratamento da água e na coleta e tratamento do esgoto gerado pelos mais de 21 mil habitantes. A cidade se destaca no cenário nacional com 100% de cobertura de água e esgoto. Esse trabalho é realizado por meio de um contrato de concessão assinado entre a Águas Castilho e a Prefeitura Municipal em 2011.

Além desses compromissos, a empresa atua junto à comunidade com projetos ambientais e socioeducativos conscientizando crianças e adolescentes sobre a importância do saneamento básico para a vida e o meio ambiente. Para isso, foram realizadas no decorrer desses nove anos de atuação plantios de mudas, palestras educativas nas escolas, visitas monitoradas e concurso de redação, sempre com apoio do poder público. A concessionária também está presente com o Aquamóvel, levando água fresca e de qualidade em ações comunitárias e eventos realizados nos bairros da cidade.

Três anos de realizações

Em Castilho já foram investidos cerca de R$ 7,5 milhões em serviços de água com destaque para a modernização dos sistemas de distribuição, como a instalação de válvulas redutoras de pressão e automação, indispensáveis na busca pela melhoria do desempenho operacional, econômico e financeiro na área de saneamento no município.

Para melhorar ainda mais o abastecimento de água na cidade, a empresa investe constantemente em reativações, construções e manutenções de novos reservatórios como aconteceu nos últimos anos nos bairros Laranjeiras, Centro e Hosoume, além de aumentar e setorizar a rede de distribuição, garantindo maior controle operacional do sistema como um todo.

Na área de tratamento de esgoto foram aplicados R$ 3,2 milhões em ações importantes para o esgotamento sanitário de Castilho. Uma das principais mudanças foi a reforma estrutural da Estação de Tratamento de Esgoto Bairro 17, responsável pelo tratamento de 80% do esgoto gerado na cidade.

Inovação no saneamento

Em um setor com desafios ainda bastante básicos, a Iguá se diferencia por sua visão estratégica de inovação, caminho que a companhia acredita ser primário para a solução de velhos problemas e para a evolução do saneamento. A Iguá foi pioneira na aproximação do setor com o ecossistema de startups, por meio do projeto Iguá Lab. Em 2020, o programa foi ampliado com o lançamento do Grand Challenge Saneamento, parceria que visa reunir as melhores soluções das startups para evolução de todo o setor de saneamento. A ação ocorrerá no prazo de um ano em parceria com a 100 Open Startups (https://www.openstartups.net/site/challenges/saneamento/). Recentemente, a companhia também abriu inscrições para um curso online e gratuito de Design Thinking – metodologia de resolução de problemas aplicada por startups e pelas empresas mais inovadoras –, que tem como objetivo incentivar ideias criativas e promover mais olhares para o setor.

A companhia vem empregando tecnologias intersetoriais, pioneiras no saneamento, em suas operações para melhorar a eficiência operacional. Entre elas, em Castilho, a empresa passou a utilizar um equipamento extra para auxiliar os serviços de desobstrução da rede de esgoto local. Trata-se do Mini Hidro, que é composto por um reservatório e uma bomba de água de alta pressão e uma mangueira com 100 metros de comprimento acoplado a um caminhão multifuncional. Um dos principais diferenciais é o ganho de tempo na execução das atividades realizadas pela equipe operacional.

A tecnologia também está presente no em outras ações como os acompanhamentos diários da perda de água no sistema com pesquisas por meio da mínima noturna (técnica utilizada para medir a pressão e a vazão de água), haste de escuta mecânica nos cavaletes residenciais da cidade e o Geofone que identifica o local exato do vazamento para que a manutenção seja efetuada no menor prazo possível.

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar