Castilho

Fátima quer frear a taxa de religação da Águas Castilho: Empresa responde que só 3% não é compromissada com pagamento

A empresa considera a taxa desse serviço necessária, porque para religar há custos operacionais.

A Prefeita Fátima Nascimento (DEM) enviou à Câmara de Vereadores um projeto de Lei que pretende acabar com a taxa de religação cobrada pela empresa Águas de Castilho. “Nossa população já sofre com o alto valor de taxas da água e esgoto. Além de serem penalizados quando há corte no fornecimento de água ainda é obrigada a pagar por uma taxa absurda de religação. Quero acabar com isso”, disse firme a Prefeita.

Atualmente a concessionária cobra em torno de R$ 160,00 para reativar o abastecimento ao consumidor. Fátima Nascimento confidenciou que sua atitude foi tomada após ouvir o relato de vários moradores e pais de família que vem sofrendo com esse constrangimento.

“Muitas famílias deixaram de comprar pão e leite para pagar uma conta de água no valor de R$ 82,00, e aí tiveram que pagar mais uma cruel taxa de R$ 160,00 para religar a água, o que endividou muita gente, causando dor e sofrimento”, lamentou a Chefe do Executivo.

“Minha gente, eu vi mães e pais de família desesperados, chorando, implorando ajuda para emprestar algum dinheiro para pagar a alta conta de água, e aí ainda tem que pagar esta aberração covarde e monstruosa da taxa de religação.Mas tenho certeza que com ajuda da Câmara vamos reverter essa história a favor do nosso povo”, disse confiante.

Na visão da Prefeita Fátima, ninguém deixa de pagar as taxas de água por vontade própria. Mas muitas vezes pela crise e desemprego. “Veja bem, pense como um ser cristão: o pai está desempregado, a mãe também, eles têm que escolher entre pagar a conta de água ou comprar o pão e o leite para os filhos pequenos. Quando decidem não deixar os filhos passarem fome, tem a água cortada. Qualquer pai faria isso”, comentou.
Caso o Projeto de Lei seja aprovado, a Prefeita quer o cumprimento do mesmo imediatamente. Em caso de descumprimento, a empresa Água de Castilho poderá ser multada pela ARSAE no valor de R$ 1.000,00 por dia.

NOTA À IMPRENSA

Em relação ao projeto de lei que pretende acabar com a taxa de religação de água, a Águas Castilho informa que não foi notificada oficialmente sobre o mesmo. A empresa ressalta que 97% da população honra os seus compromissos e paga as faturas em dia. Esse encargo só é cobrado de clientes inadimplentes, totalizando hoje apenas 3% da população. A empresa considera a taxa desse serviço necessária, porque para religar há custos operacionais. A concessionária ressalta ainda que está aberta ao diálogo com o poder público, uma vez que a cobrança está prevista no contrato de concessão assinado entre a Águas Castilho e a Prefeitura Municipal.

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar