Andradina

ÁGUAS ANDRADINA INICIA CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE ESGOTO EM PLANALTO PARA QUASE MIL MORADORES

Rumo à universalização, cerca de 750 moradores do distrito serão beneficiados com o novo investimento

A Águas Andradina iniciou na manhã desta terça-feira uma importante etapa rumo à universalização dos serviços de água e esgoto com a construção de um sistema de coleta e tratamento de esgoto em Planalto.

Esta etapa, orçada em R$ 500 mil, conta com a implantação de aproximadamente 4 mil metros de rede coletora e as ligações domiciliares do Distrito de Planalto. Após a execução dessas redes, numa segunda fase, será implantada uma linha de recalque e uma Estação Elevatória de Esgoto que irá bombear o efluente coletado até o bairro Santa Cecília, e de lá será destinado à Estação de Tratamento São Pedro II. Hoje, essa estação trata dejetos gerados pelos bairros Distrito Industrial, Jardim Cecília, Jardim Bandeirantes, Quinta das Castanheiras, Residencial Água Vida, Jardim Marin e Jardim Bela Vista, totalizando uma média de 1,5 milhão de litros de esgoto por dia.

Segundo o diretor operacional da concessionária, Antonio Hercules Neto, a opção por direcionar o esgoto para a ETE São Pedro II se deve em função da sua capacidade de tratar até 2,5 milhões de litros/dia. “Além disso, utilizar um sistema existente é uma decisão de menor impacto ambiental já que essa estrutura é licenciada pela Cetesb e todo o processo de movimentação de terra e impermeabilização já foram feitos, tornando a construção de uma nova ETE desnecessária”, explica.

Depois da finalização das redes coletoras, será implantada uma linha de recalque e uma Estação Elevatória. Essas estruturas são necessárias para bombear os efluentes coletados nos imóveis do Distrito para tratamento na ETE São Pedro II.

Como parte do projeto de implantação do sistema, Águas Andradina realizou, no mês de outubro, uma reunião com moradores de Planalto e representantes do Poder Público para explicar a importância do saneamento básico para a saúde e a qualidade de vida da população, além de explanar os passos da obra. Esse encontro contou com cerca de 50 participantes.

Saúde, qualidade de vida e desenvolvimento

Com esse sistema, previsto para ser finalizado no primeiro semestre de 2020, as vidas dos 750 moradores do distrito serão transformadas já que atualmente sem coleta de esgoto eles convivem com esgoto à céu aberto, ocasionando mau cheiro, doenças e a proliferação de insetos.
Hercules lembra que os serviços de água e esgoto são considerados essenciais e é por meio deles que surgem as condições mínimas de desenvolvimento social e econômico de uma cidade, bairro ou distrito.

“Esse investimento para os moradores de Planalto vai aproximar Andradina dos 100% de coleta e tratamento de esgoto, a tornando uma das poucas cidades do país a ter um verdadeiro desenvolvimento sustentável. Investir em saneamento é investir na saúde e, por isso, estamos nos dedicando cada dia para termos uma cidade cada vez melhor em sua infraestrutura”, comentou a prefeita Tamiko Inoue.

Esgoto em Andradina

Atualmente, Andradina possui 99% do esgoto coletado e tratado e cinco sistemas: São Pedro I e II; Saudade; Pereira Jordão; e Figueira. Mais de 200 milhões metros cúbicos de esgoto são tratados todos os meses.

Esse índice é maior do que muitas cidades do interior do estado de São Paulo como Presidente Epitácio (81%), Macedônia (77%), Riolândia (74%), Lavínia (48%) e Mirassolândia (57%), segundo dados do último estudo “Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgoto”, referente ao ano de 2018, realizado pela Secretaria Nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Para elevar essa taxa para os 100%, chegando na universalização ainda em 2020, a Águas Andradina iniciará, logo após Planalto, a construção do sistema de coleta e tratamento de esgoto em Paranápolis. “Com esses investimentos, Andradina fará parte do seleto ranking das cidades universalizadas do país”, comemora Hercules.

Cenário do saneamento básico no Brasil

Coleta
• 52,36% da população têm acesso à coleta de esgoto¹;
• Quase 100 Milhões de brasileiros não têm acesso a este serviço¹;
• Cerca de 13 milhões de crianças e adolescentes não têm acesso ao saneamento básico³;
• 3,1% das crianças e dos adolescentes não têm sanitário em casa³;
• 36 municípios nas 100 maiores cidades do país têm menos de 60% da população com coleta de esgoto4.
Dados por região
• No Norte, 10,24% da população têm acesso aos esgotos¹;
• 26,87% dos nordestinos têm atendimento de esgotos¹;
• 78,56% da população na região Sudeste têm o esgoto coletado¹;
• A parcela da população com coleta de esgoto na região Sul é de 43,93%¹;
• Centro Oeste atende 53,88% da população com coleta de esgoto¹.
Tratamento
• 46% dos esgotos do país são tratados¹.
• Somente 21 municípios nas 100 maiores cidades do país tratam mais de 80% dos esgotos³.
• Em 2017 o país lançou aproximadamente 5.622 piscinas olímpicas de esgoto não tratado na natureza³.
Dados por região
• O tratamento de esgoto é de 22,58% na região Norte¹.
• O Nordeste trata 34,73% dos esgotos¹.
• O esgoto tratado no Sudeste é de 50,39%¹.
• O Sul trata 44,93% dos esgotos¹.
• O índice de tratamento de esgoto é de 52,02% no Centro Oeste¹.
Fonte 1: Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento – SNIS 2017
Fonte 2: Pobreza na Infância 2018 – UNICEF
Fonte 3: Ranking do Saneamento 2019 – Instituto Trata Brasil

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar