Cliques do Paparazzi

Grupo de mulheres andradinenses em corrida do bem mostra mais do que troféus

Não existe pré-requisito para fazer parte. Apenas tentar superar sempre seus limites.

Nunca é tarde para começar… isso que 10 mulheres de Andradina mostram pra gente. Elas se uniram para fazer o BEM. Mas calma, não é grupo de solidariedade, elas fazem o BEM principalmente a cada uma e, com certeza, inspiram outras pessoas. Elas começaram a caminhar, depois correr e assim, uma a uma foram entrando neste grupo, hoje, conhecido como Corrida do Bem.

Não existe pré-requisito para fazer parte. Apenas tentar superar sempre seus limites. No início era Caminhada do Bem, que ainda existe e está aberto a quem quiser. Com uma alegria que contagia, até difícil fazer a entrevista, pois elas não param… as corredoras fixas, hoje, são em 10 e tem se destacado em provas pela região.

Elas são: Ândrea Borba da Silva, Andreia Carvalho Gomes, Dayane Cristina de Jesus Piloto Munhoz, Edilaine Miranda Aizza, Nathalia Teixeira Rosa Pires, Renata Rafael da Silva, Vanessa Ferreira da Silva, Vera Lucia Teixeira, Célia Ferreira Pereira Leoncina e Walquiria Aparecida Pereira Viana.

Elas contam que ao correrem deixam tudo para trás. Uma hora que tiram para se exercitar não só o corpo, mas a mente e a alma. Vanessa e Dayane iniciaram com a Caminhada do Bem. E migraram para a corrida. O nome vem dos benefícios que o exercício traz. Atualmente, elas treinam três vezes na semana e mais os sábados – sendo esses sagrados para reunir todas as corredoras, cada uma no seu ritmo e superação.

Diante de tanta garra, a Martina Wear não poderia ficar de fora e patrocinou o uniforme das corredoras. “É muito gratificante poder contribuir com este grupo que realmente, só faz o BEM”, disse a empresária Patrícia Spegiorin. O grupo é enorme, mas as 10 são mais fixas, elas estão sempre na corrida e participando de campeonatos. Quem quiser participar pode entrar em contato com qualquer uma delas ou na loja Martina Wear que é a patrocinadora do grupo.

DEPOIMENTOS

“É possível ter a sensação de liberdade, cuidar da sua saúde e ainda fazer amigos, basta querer….”, Renatinha, 41 anos que já contabiliza 1 troféu da Corrida de São João em Mirandópolis e 9 medalhas. “Aviso. Treinar tem causado saúde e felicidade. Corra pela saúde, pela superação e corra pelo prazer. Só não para de correr! Corro porque amo”, Dayane Cristina de Jesus piloto Munhoz, 37 anos.

“Se você quiser mudar seu corpo, exercite-se. Se você quiser mudar sua vida, torne-se um corredor”, Vanessa Ferreira da Silva, 35 anos.

“É incrível descobrir que o nosso corpo é capaz de fazer coisas que antes considerávamos impossíveis. A corrida está na mente. Acredite que você é capaz e tudo será possível!”, Nathalia Pires que já tem 14 medalhas e 9 trofeus sendo 6 em 1º lugar.

“Correr é a melhor terapia que existe. Somos todos loucos por corrida, e nosso remédio é produzido quando corremos. Venha fazer parte dessa terapia!”, Vera Lucia Teixeira.

“Chegar até aqui e dizer para mim mesma: eu consigo! Isso que importa, acreditar em nós mesmos é saber o quanto somos capazes de coisas imagináveis. Nunca desista jamais!”, Ândrea Borba da Silva, 34 anos, com 5 medalhas e 1 troféu em Dracena.

“A vida é feita de escolhas, e eu escolho é ser Feliz!”, Edilaine Miranda Aizza, que já tem 7 medalhas e 1 troféu.

“Eu corro com amor é uma emoção para mim com 51 anos saber que posso correr e alcançar o meu máximo. Isso é tão maravilhoso, acredite em você. Tudo é possível!”, Célia Ferreira Pereira Leoncina.
“Correr é vida!”, Andreia Carvalho Gomes, 45 anos. (Revista Fala, foto: Hugo Leonardo Hojemais Andradina).

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar