Regional

Deficit da Polícia Civil ultrapassa os 14 mil cargos vagos

Sindicato dos Delegados

A instituição perdeu 1.501 profissionais somente nos últimos doze meses

Pela primeira vez desde que foi criado, o Defasômetro do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (SINDPESP) atingiu a marca de um deficit total de 14.098 profissionais na Polícia Civil. Os dados, atualizados até 31 de maio, apontam que 33,63% dos cargos previstos em lei estão vagos. Somente nos últimos 12 meses, 1.501 profissionais deixaram a instituição. A situação chegou a um estágio tão alarmante que, de um mês para o outro, 236 policiais deixaram seus cargos. O problema levou o SINDPESP e a Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (ADPESP) a iniciarem uma série de mobilizações para conseguir reverter esse quadro.

Quando analisados os dados específicos das carreiras, o deficit é 831 delegados de polícia. Ou seja, 23,99% das vagas previstas para delegados não estão preenchidas. Somente no mês passado, a população deixou de contar com o trabalho de 36 delegados; 48 investigadores; 26 agentes policiais; 12 agentes de telecomunicação, 7 papiloscopistas; 18 peritos e 13 fotógrafos, entre outras carreiras da Polícia Civil.

Pela Lei Complementar 1339/19, 2.344 cargos de carcereiro policial foram acrescidos ao de agente policial, contudo os 3.035 cargos extintos de carcereiros permanecerão contabilizados como defasagem, visto que não foram criados cargos em substituição.

O governo autorizou, nesta segunda-feira (03/06), a abertura de concurso público visando o preenchimento de 250 cargos vagos de delegado de polícia, 900 de investigador, 1.600 de escrivão e 189 de médico legista. “Pela primeira vez desde que passamos a divulgar o Defasômetro, o deficit ultrapassou os 14 mil, isso é um absurdo. O sindicato não vai parar de agir nesta questão. Nós parabenizamos a iniciativa do governador em preencher algumas das vagas em aberto e começar a atender as demandas da classe, permitindo a abertura do concurso público. Já é um bom sinal”, avaliou a presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, Raquel Kobashi Gallinati.

Somadas as vagas previstas no concurso anunciado hoje, está prevista a contratação de quase 3 mil policiais, 11 mil a menos que o número de cargos vagos. “Governador, o senhor sabe que precisamos de mais. Os cargos que serão preenchidos não acabam com a defasagem de nenhuma das carreiras, além de que, somente no ano de 2018, por exemplo, nós perdemos 680 profissionais por aposentadoria, morte ou exoneração. Ou seja, ainda há muito o que ser feito”, completou Raquel.

Os dados do Defasômetro não apresentaram melhora desde que passaram a ser divulgados, em outubro de 2017.

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar