Ocorrências policiais

Homem que defendeu mulheres de assédio em Araçatuba é executado com dez tiros

Hoje Mais Araçatuba

Alessandro de Oliveira Aoki, 34 anos, residente na vila Industrial, em Araçatuba (SP), foi morto a tiros na madrugada desta quinta-feira (18) em um posto de combustíveis na rotatória da avenida Joaquim Pompeu de Toledo com a rua Baguaçu.

O acusado do homicídio é um empresário de 40 anos, morador no bairro Nova Iorque, que foi preso em flagrante. Ele teria sentado à mesa onde estava um grupo de amigos e passado a paquerar duas garotas ao mesmo tempo.

Após a vítima pedir para ele se retirar, por estar sendo inconveniente, ele deixou o local, mas retornou cerca de 20 minutos depois e descarregou uma pistola calibre 380 contra Aoki, que morreu no local.

Crime

Segundo informações da polícia, o crime aconteceu pouco depois das 4h. Uma das testemunhas contou que após deixarem um bar onde há música ao vivo na rua Cussy de Almeida, decidiram ir para o posto, que recebe muitos jovens durante a madrugada.

Essa pessoa falou que telefonou para Aoki, convidando-o para encontrá-los no posto. Todos sentaram-se à mesa, estavam bebendo, quando o empresário chegou em uma caminhonete GM S-10 e sentou-se com o grupo. Segundo uma das testemunhas, ele conhecia um dos rapazes que estava com a vítima.

Uma das jovens contou que passado algum tempo, o empresário levantou, comprou uma cerveja e quando voltou, sentou-se ao lado de uma das moças. Ela sentou-se ao lado dele, que teria passado a ser grosso com ela.

Inconveniente

Percebendo a atitude dele, Aoki passou a filmá-lo com o celular e pediu que fosse embora, por estar sendo desagradável. O acusado teria se levantado, jogado a cadeira no chão e, passado um tempo, deixado o local com a caminhonete.

Passados cerca de 20 minutos, ele teria retornado e sentado à mesa novamente, como se nada tivesse acontecido, mas sem conversar com ninguém.

Algum tempo depois, ele levantou-se, ficou de frente com Aoki e passou a encará-lo. A vítima também levantou-se e perguntou se havia algum problema.

Nesse momento, o empresário teria sacado a pistola e atirado várias vezes contra o desempregado, que morreu no local. Em seguida, ele entrou na caminhonete e fugiu.

Prisão

Um dos policiais militares que fizeram a prisão contou que estava em patrulhamento e ao passar em frente ao posto, percebeu uma correria. Ele viu a caminhonete deixando o estabelecimento de forma apressada, sentido ao bairro Alvorada e decidiu acompanhá-la.

O veículo foi abordado no cruzamento das ruas Antônio Prudente com a José Couto Moraes, na lateral do condomínio residencial Espanha.

Segundo o policial, o empresário desceu do veículo com as mãos para o alto e trazia na cintura a pistola calibre 380, que estava com o carregador vazio. No bolso dele, havia outro carregador com 20 munições intactas.

Desafiado

Questionado sobre o que havia ocorrido no posto, o acusado alegou que um rapaz teria tentado desafiá-lo, por isso, disparou várias vezes contra ele, que provavelmente teria sido atingido.

Outra equipe da Polícia Militar foi informada do crime, esteve no posto e constatou que Aoki estava morto. O empresário foi levado para a delegacia e, segundo o que informou à polícia, possui registro da arma, porém, não tem o porte para carregá-la.

Uma equipe do IC (Instituto de Criminalística) periciou o local do crime para a liberação do corpo, que foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) para exame necroscópico antes de ser liberado aos familiares.

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar