Ocorrências policiais

Moradora de Castilho mata cobra coral que passeava em seu pé dentro de casa

Fonte: Paparazzi News

Uma do lar de 28 anos matou uma cobra coral verdadeira que estava passeando pela sala de sua casa na quinta-feira (10/1), no bairro Laranjeiras, em Castilho.

De acordo com a moradora que é do conjunto Trovão Azul ela disse, que ao retornar de Andradina de uma visita para sua irmã, quando chegou em casa foi para sentar no sofá, momento em que sentiu algo no pé. “Pensei que era minha cachorrinha, então impulsei para longe de mim, foi quando olhei era a cobra passando em cima do meu pé”, afirmou. Com o risco de ser picada a vítima foi e matou a serpente. Ninguém ficou ferido.

CAPTURA

Para a unidade do Corpo de Bombeiros de Andradina em casos como esse é aconselhável os acionar ou telefonar para a Polícia Ambiental, assim será realizada a captura da peçonhenta que voltará para o seu habitat natural. “A limpeza de terrenos inibe um pouco o aparecimento delas, embora a cidade esteja enfestada de cobras, o melhor é limpar os terrenos sempre”, disse.

EM CASO DE PICADA O QUE FAZER?

A sua peçonha é neurotóxica, ou seja, atinge o sistema nervoso, causando dormência na área da picada, problemas respiratórios (sobretudo no diafragma) e caimento das pálpebras, podendo levar uma pessoa adulta ao óbito em poucas horas. O tratamento é feito com o soro antielapídico.

A pessoa acidentada deve ser levada imediatamente ao médico ou posto de saúde, procurando-se, se possível, capturar a cobra ainda viva. Deve-se evitar que a pessoa se locomova ou faça esforços, para que o veneno não se espalhe mais rápido no corpo. Deve-se também evitar técnicas como abrir a ferida para retirar o veneno, chupar o sangue, isolar a área atingida, fazer torniquetes o soro é a melhor opção.

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar